Comparação da eficácia dos íons de cobre/prata com o cloro livre em piscinas

“Embora ainda haja muito a descobrir sobre a sua atuação biocida, os íons parecem ser eficazes contra uma grande variedade de microrganismos (Chambers & Proctor, 1960; Cliver, et al. 1971; Domek, et al. 1984; MacLeod, et al. 1967; Wuhrman & Zobrist, 1958). A prata interfere na atividade enzimática e liga-se às proteínas das células (Wuhrman & Zobrist, 1958), e está comprovado que ambos os metais se ligam ao DNA das células (Shinohara, et al. 1983; Richards, 1981). Embora se considere que o cobre e a prata atuam mais lentamente do que o cloro na destruição dos microrganismos (Kutz, et al. 1988; Landeen, et al. 1988; Swimming pools, US HEW, 1976), eles são seguros, inodoros, não se dissipam no ar e asseguram um efeito residual. Além disso, estes metais quando associados com pequenas doses de cloro demonstraram ter uma atuação mais rápida na destruição dos microrganismos, do que o cloro sozinho em doses equivalentes.”

(Kutz, et al. 1988; Landeen, et al. 1988)
Department of Microbiology & Immunology – The University of Arizona September 22, 1988